O que acontece quando se usa lâmpadas fluorescentes no cultivo indoor

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

Como a luz é um item essencial para o sucesso de um cultivo, a escolha da lâmpada certa é sempre motivo de dúvida do cultivador. Uma dessas dúvidas é quanto ao uso de lâmpadas fluorescentes até por causa de seu custo mais baixo, o que pode ser ideal para quem está dando os primeiros passos no cultivo. Mas é possível obter sucesso no cultivo indoor usando lâmpadas fluorescentes? Pode-se usar esse tipo de lâmpada em alguma fase de desenvolvimento da planta?

A resposta sim, é possível cultivar com lâmpadas fluorescentes. Pode-se até levar o cultivo do começo ao fim com elas, mas os resultados provavelmente não serão tão bons em comparação à outras opções de iluminação – LED e lâmpadas de vapor.

Uma lâmpada fluorescente pode ser usada com sucesso para manter clones, para germinação e até para levar toda a fase vegetativa ou de crescimento das plantas. Pode também ser usada como iluminação complementar, instalando as fluorescentes nas laterais da estufa, com o objetivo de iluminar os ramos mais baixos das plantas, que acabam recebendo menos luz da fonte principal.

Mas para a floração, acaba não compensando utilizar as lâmpadas fluorescentes por causa do custo-benefício muito baixo uma vez que para ter um bom resultado seriam necessários muitos Watts desse tipo de iluminação. É melhor cultivar a fase vegetativa com lâmpadas fluorescentes, se for esta a escolha do cultivador, e depois passar para a fase de floração com outro tipo de iluminação, podendo manter as fluorescentes como luz complementar.

O que muda nas plantas quando se usa lâmpadas fluorescentes

Quando se faz todo o cultivo com lâmpadas fluorescentes as plantas tendem a se desenvolver menos em comparação ao uso de luz LED ou lâmpadas de vapor de alta pressão. As fluorescentes podem servir com sucesso para plantas de porte baixo, plantas herbáceas (como alfaces, folhosas, clones, plantas recém germinadas) e plantas com necessidades menores por luz. Uma vantagem nessas situações, além do baixo custo, é que as lâmpadas fluorescentes são frias e, portanto, não irão danificar as folhas que são mais sensíveis nessas fases.

Entre as desvantagens do uso de lâmpadas fluorescentes, está o fato de serem altamente poluentes por conterem metais pesados em sua constituição. Logo, seu descarte não pode ser feito de qualquer forma, sendo o correto a sua reciclagem em empresa especializada. Outra desvantagem é que, apesar de mais econômica, ainda consomem muita energia elétrica se comparada com os modelos de LED, por exemplo.

Além disso, na comparação com as lâmpadas de LED e as de Vapor, a principal diferença diz respeito ao espectro de luz emitido. Confira:

LED – As lâmpadas de LED são ajustadas para emitir o espectro de luz ótimo para o desenvolvimento vegetal, nos comprimentos de onda que as plantas requerem para fazer fotossíntese.

Vapor – Já lâmpadas HPS são muito utilizadas para iluminação de estufas e em cultivo indoor porque sua emissão de luz está centrada em torno da região espectral de maior eficiência  fotossintética, permitindo a produção de elevadas intensidades luminosas que geram um aproveitamento energético pelas plantas.

Fluorescentes – Por sua, vez, uma lâmpada fluorescente emite luz branca. Ou seja, em todos os comprimentos de onda, incluindo aqueles que as plantas “não necessitam” para seu crescimento. O espectro de iluminação é bem mais amplo, em comparação com as lâmpadas de vapor de alta pressão, e por consequência, uma parte da luz emitida acaba sendo desperdiçada e não aproveitada pelas plantas.

Quer saber mais sobre iluminação? Confira nosso checklist. e nossos dicas para comprar a lâmpada certa para o seu cultivo.

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search