O que fazer quando é preciso trocar a planta de vaso

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

A escolha do tipo de vaso que será usado no cultivo não pode ocorrer de qualquer jeito, sem critérios e sem levar em consideração fatores como a composição do recipiente e o estágio em que planta se encontra do seu desenvolvimento. A mesma atenção deve ser dada quando surge a necessidade ou mesmo o interesse de trocar a planta de vaso, como substituir uma opção improvisada (tipo fundo de garrafa PET) por um outro “profissional” (de plástico, de barro ou de feltro).

A maior dificuldade para trocar a planta de vaso e, consequentemente, o momento que exige maior cuidado é na preservação das raízes. Por preservação, na verdade, nos referimos tanto a atenção com os choques mecânicos durante o processo em si quanto o estresse das raízes no momento e também posteriormente. Se a planta ficar enraizada de mais no vaso antigo, desenforme um pouco a raiz gentilmente apenas para quebrar o formato.

Deve-se evitar ao máximo até tocar nas raízes. Quanto menor for a perturbação, maior a chance de sucesso do transplante. Além disso, não deve-se realizar o procedimento expondo às raízes a luz ou meios muito secos, visto que elas são muito sensíveis a esse tipo de estresse. Prefira transplantar no final da tarde, em ambiente não muito claro ou então em horário próximo do desligamento das luzes.

Pode parecer um procedimento simples de ser feito, mas há que se considerar alguns cuidados para que a troca não influencie no desenvolvimento da planta.

Isso pode acontecer?

Via de regra, é preferível transplantar as plantas antes do “momento certo” do que depois. Isso porque é de extrema importância para o desenvolvimento das raízes que elas tenham espaço o suficiente para crescer. Além disso, plantas em vasos pequenos acabam por ter seu crescimento estagnado. As raízes ocupam todo o vaso e a mensagem que é interpretada é de que a planta já atingiu o máximo de ocupação do ambiente em que está.

Mas afinal de contas, em que situações o dono do cultivo deve trocar a planta de vaso?

A decisão de trocar a planta de vaso pode ocorrer ao menos em três situações:

– Conforme as etapas de crescimento;

– Quando as raízes ocuparam todo o espaço no vaso atual; e

– A planta apresenta problemas com algas, fungos e outras pragas.

Confira a seguir mais informações sobre cada uma destas situações.

Etapas do crescimento: início e antes da floração

A troca de vasos está muito associada a prática do transplante das plantas e é recomendada nas mudanças das fases de crescimento. A primeira troca de vasos deve ocorrer duas semanas após a germinação. Quando os cotilédones brotam, por mais que o crescimento acima da terra seja lento, as raízes estão se formando rapidamente.

Quando surgirem as folhas comuns (que crescem mais rápido) e o caule estiver firme, o transplante pode ser realizado com segurança. Você pode testar a firmeza do caule agarrando-o com a mão (suavemente) sem danificá-lo.

Outro transplante realizado de praxe pelos cultivadores é entre às sextas e oitavas semanas, quando a planta estiver entrando no período de floração. Preferencialmente a recomendação é fazer o transplante sempre para vasos com o dobro do volume do anterior.

Raízes ocuparam todo o vaso

O bom senso e observação do cultivador estão além de qualquer guia com datas e calendário de ações no grow. O objetivo do transplante é garantir que as raízes tenham espaço para expandir e assim, a planta crescer.

Quando as raízes não têm espaço o bastante, elas se fixam na parede do vaso e a velocidade de crescimento da planta reduz muito. O cultivo em recipientes pequenos faz com que a planta cresça mais rápido do que em recipientes grandes, pois torna-se mais fácil para as raízes absorverem a quantidade exata de água, ar e nutrientes quando não estão encharcadas em um vaso grande.

Plantas em potes menores costumam ser cultivadas com a intenção de que se tornem plantas grandes, seguindo os cuidados e com práticas experientes de cultivo, mas se esse não é o objetivo (como não é na maioria dos cultivos indoor) você deve fazer o transplante na hora certa para não prejudicar o crescimento, desenvolvimento e o rendimento.

Problemas com algas, fungos ou outras pragas

Como já destacados no blog da Green Power, as algas parasitam plantas normalmente se fixando às paredes dos vasos, tubos de ventilação e outros materiais do grow. Além disso, os esporos dos fungos se dispersam pela terra e podem germinar em condições adequadas mesmo que você tenha realizado o tratamento do patógeno e removido as partes visíveis do fungo.

Isso também é considerado em situações de problemas com pragas que coloque ovos ou outros tipos de propágulos na terra. Assim, quando a praga compromete de maneira significativa a planta, para evitar uma nova contaminação pode ser necessária a troca do vaso ou do substrato, o que também caracteriza um processo de transplante.

Precisa trocar a planta de vaso? Siga o passo a passo!

1) Prepare o novo vaso

Faça a limpeza do recipiente e deixe ele preparado para receber a planta. Essa etapa além de economizar tempo, reduz a exposição à luz e ao ar, causando menos estresse às raízes. No caso de transplante para vasos grandes, pode ser mais prático primeiramente colocar o substrato e deixar um espaço para a colocação das raízes, que pode ser por exemplo medido usando de molde um vaso do tamanho daquele que sua planta se encontra antes do transplante. Dependendo do substrato é interessante colocar argila expandida para melhorar a drenagem.

Foto: Diana Scherer2) Colocando a mão na terra

Mantenha o caule entre os dedos para oferecer estabilidade para a planta e coloque a palma na mão embaixo do vaso original. De maneira delicada, procurando danificar o mínimo possível as raízes, movimente o vaso no intuito de soltar a terra do molde. Se o solo estiver muito compactado, utilize uma faca ou colher para soltar um pouco as bordas.

 

 

3) Vire o vaso de cabeça para baixo

Utilizando as duas mãos, vire suavemente o pote de cabeça para baixo, forçando a planta a o solo para cima da mão que está segurando o caule. Alguns pedaços da terra podem se soltar nesse processo, mas você deve manter o foco em não danificar as raízes em si.

4) Replante num vaso novo

Acomode no novo vaso as raízes com a terra ao redor delas, cobrindo-as completamente e evitando deixar o solo exposto.

5) Os toques finais

Dê batidinhas sutis no vaso para a planta se acondicione no novo recipiente e pressione a camada de terra da superfície com as mãos, mas sem compactar em excesso o solo.

E depois de trocar a planta de vaso, o que fazer?

Após trocar a planta de vaso, o dono do cultivo deve seguir algumas recomendações para finalizar o processo em segurança:

a) Faça uma rega imediatamente após o transplante. Esses minutos de movimentação das raízes podem ser bem estressantes e para auxiliar numa recuperação rápida da planta, o solo deve estar bem molhado. Caso esteja realizando alguma fertilização, prefira regar com a menor quantidade possível de nutrientes nesse momento.

b) Evite expor a planta a luz intensa nos primeiros dias após o transplante, pelo mesmo motivo do estresse que pode ser muito prejudicial para o desenvolvimento.

c) Se necessário coloque estacas. Às vezes com o transplante para os vasos maiores, as plantas têm dificuldade para se manterem em pé sozinhas, por isso é uma boa utilizar estacas de madeira ou bambu amarradas ao caules. Isso evita que a planta seja empurrada ou derrubada, mas tenha atenção para não manter as amarras muito firmes e ajustá-las durante o crescimento.

d) Caso você pretenda trocar o vaso de local após o transplante, o que costuma acontecer quando é necessário adaptar o espaço, busque manter a planta no ambiente antigo por mais alguns dias após a mudança de recipiente. Cerca de dois a três dias já são suficientes para uma adaptação menos brusca e maior chance de sucesso do procedimento.

Dica extra

Use redutores de choque pós-transplante. Produtos a base de ácido naftilacético, um regulador de crescimento para plantas, como os redutores de choque e soluções para clonagem são bons pois forçam a planta a focar no crescimento e fortalecimento das raízes. 

São ótimos para auxiliar as raízes a se fixarem e se adaptarem ao novo recipiente, mas devem ser utilizados sempre conforme recomendação do fabricante e não por muito tempo, para que não prejudiquem a disponibilidade de energia da planta para desenvolver as folhas e flores. Inclusive se a troca de vaso foi realizada logo antes do período da floração, tenha ainda mais atenção e moderação no uso desses produtos.

No caso, talvez seja mais interessante aumentar a dose de suplementação de fósforo e potássio, pois esses elementos potencializam a floração mas também favorecem o crescimento das raízes.

Confira os vasos à venda nas lojas da Green Power.

 

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search