Terpenos: O que são e qual sua importância

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

Você sabe o que são os terpenos? São compostos naturalmente produzidos pelas plantas através de seu metabolismo secundário, com atuação e distribuição específica nas plantas, sendo mais comuns em algumas espécies do que em outras. As plantas produzem os terpenos porque eles cumprem diversas funções na planta como protegê-la contra os herbívoros e patógenos e atuar na própria competição entre as plantas ou mesmo para fins de atração de organismos benéficos a elas, como animais polinizadores e dispersores.

As plantas produzem basicamente dois grupos de compostos, os chamados metabólitos primários, que são os responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento da planta (os aminoácidos, açúcares e nucleotídeos) e os metabólitos secundários, que incluem os terpenos e também têm a função de protegê-las contra fatores abióticos relacionados ao ambiente físico como níveis de iluminação, exposição aos raios UV, conteúdo de água e deficiências nutricionais.

Por este motivo, as plantas produtoras de resinas aumentam sua produção quando expostas a condições críticas, como estresse hídrico, exposição solar elevada (duas das técnicas utilizadas pelos cultivadores para aumentar a resinação das flores antes da colheita). Naturalmente, essa é a resposta da planta para se proteger e proteger seus frutos e sementes das condições adversas, sendo que esta proteção é conferida pelos terpenos.

Terpenos são responsáveis pelo cheiro das plantas

Muitos terpenos são voláteis, isto é, são facilmente liberados no ar e também percebidos pelas nossas narinas, assim como as de outros animais – daí vem a relação dos terpenos com a função de repelir ou atrair os animais, de acordo com as necessidades da planta. Os terpenos são, portanto, os grandes responsáveis pelo cheiro que sentimos, por exemplo, ao aproximarmos o nariz de um pau de canela, casca de sândalo, pote de flores, entre outros.

Todos os óleos essenciais são terpenos. Eles são utilizados há cerca de 3.500 anos com aplicação em cosméticos, perfumes, solventes ou matéria-prima para a produção de tintas, graxas, ceras, e como intensificadores sensoriais em alimentos. Os terpenos também são óleos aromáticos que conferem às plantas uma variedade de sabor e aromas como o das frutas cítricas, frutas vermelhas, hortelã e pinho. Eles são secretados em glândulas, como os tricomas por exemplo.

Terpenos: Classificação, exemplos mais comuns e seus efeitos

Os terpenos são agrupados de acordo com o tamanho da cadeia de moléculas que os compõem. Cada uma de suas moléculas é formada por uma combinação de cinco átomos de carbono ligados a oito átomos de hidrogênio (C5H8), numa estrutura denominada isopreno. Por exemplo, um monoterpeno é um terpeno formado por dois isoprenos ligados, mas existem outros terpenos mais complexos, como a borracha, que é um terpeno formado por uma cadeia com mais de mil isoprenos.

Na tabela a seguir, apresentamos exemplos de terpenos e seus efeitos.

TerpenoCaracterísticasExemplos ocorrência (plantas)Efeitos
MircenoAroma terroso, pouco cítrico e meio amargoLúpulo, capim-limão, manga.Analgésico, antiinflamatório e antibiótico;
LimonenoAroma que sentimos ao descascar uma tangerina ou laranjaFrutas cítricas (limão, laranja, tangerina)Bactericida, fungicida e anti-cancerígena
Beta-CariophilenoPouco doce, apimentado, amadeirado, cítrico, adstringenteCravo-da-Índia, pimentas,algodão, ervasPoderoso analgésico, redutor da pressão sanguínea
PinenoAroma das resinas de pinheirosEucalipto, sálvia, pinheirosExpectorante, antiséptico, aumenta o foco, energético
LinalolAroma doce com toques apimentadosLavanda, lírio, etc.Estudos têm apontado efeitos na retração de câncer, possui efeitos sedativos
Delta-3-CarenoAroma doce, pungenteResinas de pinheiro, cedro, etc.Efeitos no tratamento de distúrbios da regulação hídrica no corpo, causa sensação de olhos e boca secos.

Qual valor medicinal dos terpenos e como interferem no organismo humano?

Muitos estudos têm apontado o uso dos óleos essenciais, através da aromaterapia, com excelentes benefícios para a saúde, especialmente na redução da ansiedade e estresse, dois dos maiores problemas da vida moderna. Ao vaporizar as essências aromáticas dos óleos essenciais, o terapeuta está, na verdade, administrando doses de terpenos ao seu paciente.

Apesar da longa história de uso, são recentes as pesquisas sobre a interação dos aromas e terpenos entre si e com outros compostos das plantas e mesmo de seus efeitos sinérgicos no corpo humano. Ao interagirem entre si, os terpenos formam moléculas variadas, com aromas diferentes, dando as famosas variações no cheiro e no sabor das flores.

Alguns terpenos promovem relaxamento e alívio do estresse, enquanto outros promovem foco e acuidade. Uma única espécie de planta pode produzir mais de 100 diferentes tipos de terpenos, sendo que eles têm ainda a capacidade de interagir sinergicamente com outros compostos da planta e mesmo com componentes do organismo humano. Os terpenos podem oferecer um grande valor médico adicional, uma vez que são mediadores da interação do nosso corpo, através de nosso próprio sistema endocanabinóide, com os canabinóides terapêuticos.

Da mesma forma que esses compostos, os terpenos ligam-se a receptores no cérebro e dão origem a vários efeitos no corpo. Além disso, cada tipo de terpeno reage de forma única com outras moléculas do corpo humano, alterando as formas com que nosso corpo absorve outros compostos vegetais e, consequentemente, provocando efeitos psicoativos e medicinais variados.

O terpeno mirceno, por exemplo, pode reduzir a resistência na barreira hematoencefálica, facilitando a passagem de outras substâncias químicas benéficas. O beta-cariofileno, o humuleno e o pineno têm efeitos anti-inflamatórios. O Pineno ajuda a neutralizar o comprometimento da cognição e memória causado pelo THC. Uma combinação de terpenos pineno, mirceno e cariofileno tem ação direta na redução da ansiedade. A mistura de terpenos linalol e limoneno tem mostrado efeitos benéficos no tratamento de algumas infecções bacterianas.

Estes exemplos apenas introduzem a vasta gama de possibilidades de melhorias na saúde que podem ser alcançadas, com mais pesquisas e entendimentos das interações desses compostos tão importantes. O potencial combinatório dos terpenos entre si, com outros compostos de interesse da planta, bem como com o próprio sistema endócrino humano é imenso. Imaginar quantas vidas poderiam ser melhoradas através dessas pesquisas é quase tão irresistível quanto o aroma que vem de um pote de flores.

Na Green Power, é possível encontrar terpenos aromáticos extraídos de forma natural, diluídos em ácido caprílico, um solvente natural originado do óleo de coco, orgânico e vegano. São frascos de 0,5mL, com terpenos na forma concentrada, que devem ser adequadamente diluídos para uso, seja em misturas de ervas de vaporização, óleos vegetais, na preparação de cosméticos naturais, alimentos, chás e outras bebidas. Ainda encontra-se a opção de terpenos na forma de spray, pronto para uso, que podem ser borrifados igualmente em misturas de ervas, bebidas, entre outros.

 


Para saber mais

Bibliografia

ANDREI, P. & DELL COMUNE, A. Aromaterapia e suas aplicações. Cadernos. Centro Universitário S. Camilo. São Paulo. v.11, n.4, p. 57-68, out/dez 2005. (http://www.saocamilo-sp.br/pdf/cadernos/36/07_aromaterapia.pdf)

BRISKIN, D. P., Medical plants and phytomedicines. Linking plants biochemistry and physiology to human health. Plant Physiology. 124:507-514. 2000.

ROSENTHAL, E., Marijuana Grower’s Handbook. California. Quick American Publishing. 2010. 510p.

TAIZ, L. & ZEIGER, E. Plant physiology. California. The Benjamin/Cummigs Publishing Co., 1998, 559p.

Site leafly.com

Site oleosessenciais.org

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search