O que fazer quando planta fica amarela, curvada e com demora para crescer

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

Um leitor do blog da Green Power compartilhou o que ele chama de “pesadelo”. Após 20 dias, ele notou que os cotilédones estavam ficando amarelos e curvados e uma das folhas pareceu “queimada” no meio. “Parece que agora a planta também está demorando para crescer e não sei o que fazer, não sei se é um problema, mas todas as outras folhas estão lindas, normais”, diz ele pelo O que fazer quando.

Para ajudá-lo, começamos explicando as causas dos problemas identificados nos cotilédones e qual a relação que isso tem com o tempo de vida da planta.

Características dos cotilédones

Os cotilédones estão associados ao início do desenvolvimento da planta e são responsáveis pela nutrição em seus primeiros dias, enquanto a mesma ainda não consegue obter todo o seu alimento da fotossíntese. Por isso pode-se dizer que é normal que murchem depois de algum tempo. Afinal, os nutrientes contidos ali estão sendo consumidos pela planta.

Em geral, folhas amareladas e murchas (ou mesmo curvadas) indicam excesso de água na rega, mas também é um sintoma associado a deficiência de nutrientes (como Nitrogênio, Magnésio, Ferro, entre outros) ou ao excesso deles, o chamado overfert. Não é tão comum que todos esses sintomas sejam observados já nos cotilédones, mas como o leitor também relata problemas em folhas, pode sim acontecer.

Mas por que não afeta todas as folhas, como questiona o leitor do blog da Green Power?

É difícil entender o funcionamento de um organismo vivo e toda a sua complexidade. Por isso, para algumas perguntas, não há respostas específicas. Mesmo se o leitor, fazendo os testes corretos, conseguir identificar qual dos problemas está causando esse amarelamento/folhas “queimadas”, ainda assim é difícil responder ao certo porque esse estresse está prejudicando apenas uma ou algumas folhas e não todas. Todo o metabolismo das plantas, bem como os sistemas de transportes de nutrientes podem estar associados aos problemas.

Às vezes surgem, por exemplo, manchas na nossa pele, mas somente nos braços e ficamos confusos sobre o porquê das manchas não afetam o restante do corpo. Da mesma maneira, uma deficiência de nutrientes ou o excesso de água pode se manifestar como sintoma de apenas algumas folhas, mas isso não quer dizer que o restante da planta não esteja sendo afetado.

Sobre a deficiência de crescimento relatada pelo leitor, isso certamente está relacionado com o problema central. As plantas só crescem e se desenvolvem em condições básicas para isso. Ao identificar e solucionar o problema que está causando o amarelamento dos cotilédones e/ou a estranha reação de “queimado” e clorose nas folhas, provavelmente a planta vai voltar a crescer naturalmente. A recuperação envolve todo o processo de realizar os testes para descobrir o problema, solucioná-lo e aguardar a planta perceber que novamente a condição é favorável para então voltar a crescer.

O que fazer para resolver o problema, começando com a situação dos cotilédones

Para resolver o problema é necessário primeiro identificá-lo. Os cotilédones murcharem ou se curvarem pode ser apenas uma reação normal da planta, visto que após os primeiros 10-15-20 dias a planta já vai necessitando menos dos nutrientes e conseguindo se alimentar com a fotossíntese. A dica é observar se a planta está apresentando algum outro tipo de problema também.

No caso da questão levantada pelo leitor, a única outra observação preocupante é a folha que parece ter “queimado” no meio. Mas ainda assim pode se tratar de uma folha que apresentou alguma deficiência de crescimento. Caso outras folhas também passem a apresentar esse problema é hora de rever a rotina de cultivo. As plantas devem ser cultivadas num ciclo úmido-seco equilibrado então não podem ser regadas de mais e nem de menos.

O melhor horário do dia para fazer a rega é antes de expô-las ao período de luz. Regar em excesso ou despejar muita água na rega é um erro bastante comum entre os cultivadores. Se você está certo de que a rega está sendo realizada de maneira correta ou então mudou a rotina mas a planta continuou apresentando esses problemas, é hora de partir para a próxima hipótese: falta ou excesso de nutrientes na terra.

Confira se os nutrientes que estão sendo colocados no solo são suficientes, principalmente Nitrogênio, mas também Magnésio, Enxofre, Zinco, Manganês e Ferro. Essa etapa é basicamente de teste e (re)teste. Não há outro modo de descobrir qual nutriente está em falta a não ser testando. Você pode optar por testar um por um, ou todos de uma vez, mas cuidado com a outra possível causa desse problema, o overfert.

Caso já haja uma reposição desses nutrientes no solo, é bom pensar pelo outro lado: será que não são nutrientes de mais? As informações das tabelas podem ajudar a identificar quais e em qual quantidade utilizar os fertilizantes. Se o problema ainda persistir, vale a pena rever o pH do solo com medidores adequados.

Dúvidas sobre cultivo indoor? Acesse O que fazer quando e compartilhe sua pergunta.

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search