O que preciso saber sobre germinação e clonagem

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

O começo de um cultivo indoor é cercado de expectativas, mesmo entre aqueles que já tiveram experiências anteriores. Será que as plantas vão se desenvolver e gerar ervas de qualidade? Seguindo todas as rotinas de manutenção e cuidados e com o uso correto de luz, água e nutrientes, será muito difícil dar errado. E quando estiver saboreando o sucesso do primeiro cultivo, prepare-se para avançar e começar a pensar em outras questões como a aplicação de técnicas de germinação e clonagem.

Você sabe o que é germinação e clonagem?

As duas técnicas servem para a propagação de plantas. Ou seja, visam o aumento no número de plantas com características semelhantes. Isso significa que uma planta do seu cultivo, que tenha tido um bom desenvolvimento, poderá dar origem a outra com os mesmos aspectos e, por consequência, com o mesmo resultado.

Apesar de terem o mesmo propósito, germinação e clonagem são técnicas bem diferentes.

O que é germinação?

A germinação é um dos processos naturais de propagação da planta e que é influenciada pelas condições favoráveis do ambiente para seu desenvolvimento, como o controle de água, luz e temperatura. Estes são os fatores principais para germinar as sementes. Neste meio adequado, se inicia a transformação do conteúdo interno das sementes, principalmente pela ação da água, dando origem à nova planta.

Por causa destas características, não há período determinado para que a germinação ocorra. Caso a semente esteja apta e viável, a germinação poderá ser realizada a qualquer tempo, desde que a semente encontre as condições favoráveis: água, temperatura adequada (em torno de 25 graus Celsius) e luz. Para ajudar no processo, você pode contar com o auxílio de hormônios vegetais como as giberelinas. Isso é recomendado para ser aplicado principalmente em sementes que apresentam dificuldade para germinar.

É o caso de sementes velhas ou que tenham sido armazenadas de forma inadequada em locais com excesso de umidade ou sob radiação. Mas atenção ao uso dos hormônios. São recomendados para cultivadores experientes e os efeitos deles podem ser adversos quando mal aplicados.

Para germinar as sementes com sucesso existem diversas técnicas simples:

1) Coloque as sementes em guardanapos de papel umedecidos com água limpa (água destilada é mais indicada). Armazene-os no fundo de recipientes plásticos com uma boa altura (isso ajudará a evitar o ressecamento rápido do papel) e coloque-os sob uma fonte de luz. Pode ser dentro da própria estufa ou sob uma luminária de luz fluorescente branca.

Importante: nunca utilize uma lâmpada quente porque isso irá ressecar o meio rapidamente. Pode-se utilizar algum tipo de cobertura no recipiente plástico, como um papel toalha, para retardar a perda de água. Mantenha sempre úmido borrifando água de vez em quando, nunca em excesso, mas sem deixar secar, até notar o aparecimento de um “nariz” saindo da semente. Essa é a primeira raíz se formando.

2) Utilizando as células de germinação Jiffys, à venda na Green Power, proceda conforme as instruções sobre como umedecer as células em água, até que fiquem inchadas e aumentem seu tamanho. Coloque as sementes nos orifícios das Jiffys e cubra com um pouco do material da própria célula.

É importante mantê-las numa cabine de germinação ou num recipiente plástico, criando um microclima adequado e mantendo a umidade. A vantagem de utilizar as Jiffys é que, após as raízes terem se desenvolvido a partir da semente, as novas plantas poderão ser transplantadas para o vaso definitivo sem a necessidade de serem removidas desse meio de crescimento.

3) Com lã de rocha, siga as instruções do rótulo, atentando para o controle de pH no momento de fazer a umidificação da lã. Tendo feito o processo e já com a lã de rocha umedecida, basta colocar as sementes em pequenos orifícios, cobrí-las com um pouco da lã e seguir basicamente os mesmos passos das técnicas anteriores, cuidando para manter a umidade, fonte de luz e temperatura adequada.

O que é clonagem?

A clonagem é um mecanismo de reprodução em que o clone terá as mesmas características que a planta (ou organismo) que o originou. É um processo comum e natural em algumas espécies, que podem se reproduzir vegetativamente, ou seja, dão origem a outras plantas idênticas à planta mãe. Mas como nem todas as espécies de interesse no cultivo indoor apresentam essa característica, pode-se utilizar de algumas técnicas e procedimentos simples de serem executados, a fim de produzir clones.

No caso da clonagem de uma planta adulta, por exemplo, pode consistir em cortar um ramo saudável e em crescimento. Neste procedimento, os cortes devem ser feitos sempre na região entre-nós, que é a região que fica entre dois nós consecutivos no caule da planta. O nó pode ser identificado no caule da planta, exatamente de onde partem suas folhas ou ramos laterais.

Sobre a hora certa de fazer a clonagem, isso depende da maturidade da planta. O ideal é realizar o processo durante a fase de crescimento da planta. Ela já estará numa altura em que é possível notar o crescimento do caule e ramos que forma os entre-nós. Se não fizer o procedimento nesta fase e deixar para mais tarde, você corre o risco de comprometer a clonagem. Lembre-se: o clone levará consigo as mesmas características da planta-mãe. Isso significa que se a planta-mãe estiver próxima de florescer, os clones também o farão em pouco tempo de crescimento, sem terem se desenvolvido completamente. O resultado será uma produção de flores em baixa escala.

Para fazer o procedimento de clonagem da planta você pode seguir os passos:

1) Observe a planta e escolha o ramo adequado para fazer o     corte, lembrando de localizar a região dos entre-nós;

2) Utilize uma tesoura afiada e limpa. O recomendado é limpar as lâminas com álcool a 70% ou com uma solução de água sanitária a 5% para eliminar os patógenos que podem causar infecção na região do corte;

3) Faça um corte preciso e diagonal, evitando machucar as extremidades dos ramos que serão cortados. Afinal, elas precisam ficar íntegras para que as células continuem se desenvolvendo e formando os novos tecidos;

4) Imediatamente após cortar os ramos coloque-os dentro de um pote com um pouco de água limpa, evitando que a região cortada fique ressecada;

5) Para enraizar é interessante utilizar um gel específico para clonagem. No mercado nacional uma     boa opção é o SelaGel, que serve exatamente para selar o corte, evitar a entrada de infecções e facilitar o desenvolvimento das novas células.

6) Tendo feito a selagem dos cortes, os ramos devem ser alocados num meio de crescimento como um substrato, vermiculita, lã de rocha, etc.7) Os clones precisarão de bastante umidade no início do processo. Uma dica é mantê-los em bandejas com cabines plásticas ou mesmo numa estufa preparada para recebê-los, onde exista luz, temperatura e umidade adequadas.

Para fazer germinação e clonagem

Como sugerimos, a hora de você pensar em germinação e clonagem pode ser depois que seu cultivo indoor tenha obtido o resultado esperado. A vantagem neste caso é que você estará com mais experiência para repetir todo o processo e já projetar desenvolver novas habilidades em seu cultivo. Mas nada impede que você possa pensar em propagar suas plantas já num primeiro cultivo, especialmente aplicando técnicas de clonagem.

Na loja Green Power você encontra uma variedade de produtos que podem ajudá-lo no processo.

Confira nossas sugestões:

Tesoura de colheita e desbaste red

Gel para Clonagem Sela Gel – 50 ou 500ml

Lã de Rocha – pack com 2 unidades

Bandeja 15 células – Germinação e Clonagem

Cabine de Germinação e Clones Propagator

Substrato Mix Pronto Cultivo – 5L

Celulas Germinação Jiffy – 35mm

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search