Fotoperíodo: Cuidados para não errar no tempo de exposição à luz

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

A luz é um dos itens indispensáveis no cultivo. Se acompanha nosso blog e vídeos, já sabe disso, certo? Se ainda não sabe, no guia Boas Práticas Cultivo Indoor você encontra tudo o que precisa saber sobre luz para aplicar no seu cultivo e ter plantas bem desenvolvidas. E quando se fala em luz, plantas e cultivo indoor, é preciso destacar os cuidados com o fotoperíodo.

Fotoperíodo é o tempo de exposição à luz que as plantas recebem a cada dia. Ou seja, é a quantidade de horas que a planta ficará exposta à luz e à escuridão, conforme sua fase de desenvolvimento. As plantas são sensíveis à luz e percebem qualquer tipo de alteração no tempo de exposição, o que interfere no seu desenvolvimento. Por isso, o fotoperíodo deve ser levado em consideração tanto no cultivo indoor quanto no cultivo ao ar livre.

O que muda no fotoperíodo de um tipo de cultivo para outro?

Na prática, o controle do fotoperíodo é mais fácil de ser feito no cultivo indoor porque envolve iluminação artificial e por isso a exposição à luz pode ser feita manualmente. Junto com a escolha e a instalação da iluminação adequada do grow, é quase regra instalar também um timer ou temporizador para que a luz seja ligada e desligada automaticamente, conforme o fotoperíodo programado.

O fotoperíodo precisa ser seguido à risca, podendo ter variações conforme a avaliação do dono do cultivo e seus objetivos. Isso significa que o tempo de exposição pode ser alterado para que o desenvolvimento seja mais acelerado ou corrigido, caso a planta ainda não mostre o resultado esperado para a etapa em que se encontra. O controle do fotoperíodo também pode servir para amenizar a temperatura no grow deixando as luzes acesas durante à noite e escuro de dia, reduzindo o impacto do calor nas regiões mais quentes, somado ao uso de exaustores e ventiladores.

No cultivo outdoor, a atenção é redobrada em virtude das variações de clima e de temperatura, além da influência da localização geográfica e da estação do ano. Para ter ideia sobre a importância do fotoperíodo, há casos em regiões como nos Estados Unidos, com clima predominantemente temperado, em que um cultivo ao ar livre é feito num tipo de sistema híbrido, utilizando as horas de luz natural do Sol, mas contando com um sistema de iluminação artificial, acionado quando o Sol baixa. Isso compensa o tempo de exposição e ajuda a suprir a necessidade das plantas, principalmente em fase de crescimento, por muitas horas de luz ao longo do dia.

No dois tipos de cultivo, o erro mais comum é não fazer o fotoperíodo no tempo indicado, afinal se ocorrer oscilação frequente as plantas sofrem com um estresse. Por outro lado, uma exposição insuficiente irá retardar o desenvolvimento das plantas. Outro erro é não levar em conta a fase em que a planta se encontra, como germinação, crescimento e floração. O tempo de exposição para uma fase não é o mesmo para outra.

⚠️ Na fase de crescimento vegetativo, o tempo de exposição à luz mais usado é o 18/6, com 18h de luz e 6h de escuridão.

⚠️ Neste estágio, há quem adote o fotoperíodo 24/0, com as luzes acesas durante todo o dia, o que encarece a conta de luz, mas que renderia um crescimento mais rápido das plantas. Há controvérsias entre os cultivadores no uso desse fotoperíodo, pois alguns defendem que as plantas precisam de um “descanso” em seus processos metabólicos.

⚠️ Outros optam pelo 20/4 quando o objetivo é cultivar variedades autoflorescentes, que pedem um crescimento mais rápido. O mesmo fotoperíodo também pode ser usado no caso do cultivo de variedades fotodependentes, como uma alternativa entre o habitual 18/6 e o extremo 24/0.

⚠️ Também pode-se optar pelo fotoperíodo 16/8, que tem o objetivo de manter a planta num crescimento vegetativo mais lento, porém sem induzir a floração. É muito utilizado para perpetuar genéticas e manter plantas-mãe.

⚠️ Na fase de floração, o fotoperíodo é de 12/12 com as luzes da estufa acesas 12h por dia e com mesmo tempo de escuridão, já que para o florescimento da planta ser ativado precisa-se no mínimo de 12h de escuro.

Influência do fotoperíodo na germinação

O fotoperíodo também exerce influência na fase de germinação. É um fator determinante neste processo. Existem sementes, as chamadas fotoblásticas positivas, em que a luz estimula a germinação e as plantas não germinam no escuro. Por outro lado, nas sementes fotoblásticas negativas, ocorre o inverso. A luz inibe a germinação e as plantas germinam no escuro. Há ainda sementes que germinam indiferentemente de estarem sob luz ou escuridão.

Sobre o tempo de exposição, há estudos que mostram que a partir de 4h de luz já ocorre um aumento gradativo na porcentagem de germinação. No entanto, observa-se que, com 12h de exposição à luz, é possível atingir uma germinabilidade máxima das sementes. Isto é, no caso das sementes que são estimuladas pela luz, quanto maior o fotoperíodo, maior a germinação.

O que fazer quando

Você tem dúvida sobre seu cultivo? Participe do conteúdo colaborativo do blog da Green Power. Preencha o formulário e envie sua pergunta.

E-book: Faça o download gratuito.

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search