Exaustão e Ventilação

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

Não há como evitar a instalação de sistemas de exaustão em cultivo indoor. Além do revestimento interno da estufa e, obviamente, das lâmpadas, o exaustor de ar é peça fundamental para garantir o sucesso de seu grow. Mesmo que você esteja utilizando iluminação em LED’s, os quais geram uma quantidade mínima de calor, a renovação do ar no interior do cultivo é essencial, uma vez que as plantas continuamente trocam gases e vapor d’água com o meio em que se encontram, através de processos como a respiração e transpiração. Por isso o ar dentro do cultivo indoor torna-se “viciado”, ou, seja, carregado em CO2 e vapor d’água expelidos pela planta durante a respiração. Assim, seja para manter uma temperatura adequada ao crescimento vegetal ou para que os processos vitais das plantas estejam em perfeito funcionamento, é altamente necessário que o ar interior no grow seja renovado.

Muitas espécies crescem melhor em ambientes onde exista uma leve brisa incidindo sobre suas folhas. O fluxo de ar renovado proveniente do exterior carrega O2 renovado e todos os gases que compõe o ar atmosférico, criando um ambiente mais próximo às condições naturais de crescimento das plantas. A instalação do sistema de exaustão deve ser tal que favoreça a saída do ar mais quente, o qual acumula-se na parte superior da estufa, e ao mesmo tempo permita a circulação do ar mais fresco, que acumula-se na parte inferior do grow. Por isso, o ideal é fazer a instalação de um exaustor na parte superior do grow, posicionando-o próximo da lâmpada, com o objetivo de retirar o calor gerado por esta, e manter os dutos inferiores da estufa como entrada de ar.

Para grandes projetos de cultivo e quando as condições climáticas são desfavoráveis, talvez seja necessário a instalação de um segundo exaustor nos dutos mais baixos, com o objetivo de injetar ar fresco do exterior para dentro do grow. Mas na grande maioria das estufas e armários de cultivo o exaustor da parte inferior pode ser substituído por um mini ventilador, sempre atentando para a marcação da temperatura interior da estufa. O ideal para a maioria das espécies cultivadas é normalmente algo em torno de 21°C a 27°C, sendo que até 32ºC há uma boa tolerância. Acima de 35ºC, o cultivador deverá buscar imediatamente mecanismos para diminuir a temperatura.

Outro fator importante a ser considerado é umidade relativa do ar (UR). Em regiões de clima temperado úmido (ou seja, calor e chuvas frequentes, como ocorre em boa parte do Brasil), a umidade relativa do ar pode vir a ser um problema no cultivo indoor, especialmente se a iluminação estiver sendo feita através de grow LED’s. Isto por que no caso das lâmpadas HPS o calor gerado por elas é suficiente para dissipar o excesso de umidade dentro do grow, porém isso não ocorre no caso do LED’s. A alta umidade relativa do ar não terá grandes consequências para as fases de crescimento das plantas, mas pode ser um problema na fase de floração, quando taxas de UR acima de 70% aumentam em muito as chances de ocorrência de pragas e mofo.

Planejando o sistema de exaustão

Uma estufa de tamanho médio, com 80 x 80cm de base e 180cm de altura, normalmente tem sua temperatura controlada com a instalação de um exaustor centrífugo em linha num dos dutos de saída superior e um mini ventilador clipado na parte inferior. Um exaustor linear 100mm e com vazão de até 100m3/h será um equipamento ideal para um espaço de aproximadamente 10m3, o que equivale a uma estufa de 1 x 1 x 1,80m, por exemplo.

Existem miniventiladores compactos e com clip na base que são ideais para uso em estufas. O clip permite que ele seja acoplado nas estruturas de sustentação da estufa, economizando espaço do chão e permitindo maior área de distribuição dos vasos. A marca Ventisol possui um modelo que se adapta à essa necessidade.  Nas regiões onde o inverno é de clima ameno a frio, o miniventilador poderá até ser dispensado durante este período. Mas não o exclua de sua lista de compras sem considerar a aquisição de um termohigrômetro, pois com ele você poderá ter total controle das condições internas do grow.

As condições climáticas ambientais e o tipo de lâmpada utilizada farão a grande diferença no controle da temperatura interna do grow. Por isso, se você está optando por utilizar lâmpadas HPS numa estufa de tamanho médio e sua região sofre com aquele verão extremo, fique atento à instalação adequada do sistema de exaustão e monitore a temperatura constantemente. Talvez seja o caso de utilizar um refletor dutado, ou um cooltube, o que contribuirá substancialmente no controle do calor, de forma a reduzir a necessidade de miniventiladores adicionais.

Resumindo em dicas básicas:

– Posicione o exaustor que irá extrair o ar da estufa na parte superior desta, já que o ar quente sobe;

– Mantenha entradas de ar na parte inferior do grow e posicione o miniventilador próximo a elas. Para cada saída de ar, tenha uma entrada de dimensões similares;

– A entrada de ar renovado na estufa ocorrerá naturalmente, de maneira passiva, com a pressão negativa criada pelo exaustor de ar, por isso atente para objetos fora da estufa que poderão obstruir os dutos de entrada de ar;

– Ao utilizar refletores cooltubes posicione o exaustor sempre do lado do soquete da lâmpada, de forma a jogar o ar quente através do duto e em direção à saída de ar da estufa.

Bons cultivos!

E-book: Faça o download gratuito.

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search