Saiba aproveitar melhor o orçamento na manutenção do seu cultivo indoor

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

Planejamento é um palavra-chave para quem decide investir no seu próprio cultivo indoor. Isso porque é uma atividade que pede organização e disciplina e a manutenção de uma rotina com tarefas essenciais para o desenvolvimento das plantas. Mas planejar também tem a ver com questões financeiras, com o orçamento que você precisa definir para montar e para manter seu cultivo. Além de saber quanto dinheiro tem para investir é preciso também saber quais compras precisa priorizar dentro do que prevê gastar.

O que comprar primeiro: novas lâmpadas e medidor de pH?

E entre novos vasos e uma nova estufa, o que priorizar?

Já tem seu orçamento para saber responder essas perguntas? Apresentamos a seguir boas práticas para o planejamento de ações e financeiro do seu cultivo indoor.

Por onde começa o planejamento de manutenção de um grow

Para facilitar e até economizar, o planejamento de um grow pode ser feito fase a fase: crescimento, floração e colheita. Nas duas primeiras etapas, o maior investimento do dono do cultivo indoor será em fertilizantes. Depois de instalado o grow, eles passam a ser os itens mais dispendiosos. Dependendo da quantidade de plantas e do tipo de fertilizantes usados, os importados e mais específicos para cultivo indoor, como os General Hydroponics, destacado no blog, acabam pesando mais no orçamento, no entanto, existem opções mais em conta e que cabem no bolso de quem não pretende ou não pode custeá-los.

É recomendado também que se inclua no orçamento já no início do plantio a compra de equipamentos de medição de pH e de Condutividade Elétrica. São itens essenciais no sucesso do cultivo. Uma dica é definir o número de plantas que pretende manter em seu cultivo indoor de acordo com seu orçamento. Se tiver espaço para várias plantas, pensem bem antes de iniciar o grow com esta perspectiva porque mais adiante você poderá ter dificuldades para mantê-las bem nutridas até o final do ciclo de cultivo. Leve em consideração que precisará comprar fertilizantes diferentes nas fases de crescimento e de floração.

Para a fase de colheita, os investimentos financeiros devem prever a compra de tesouras e outros acessórios como Flora Kleen (fertilizante usado para lavar a planta e dar um sabor mais adocicado e de melhor qualidade), rede de secagem e balanças.

O orçamento deverá incluir também a compra de potes herméticos e potes de vidro violeta para armazenar o resultado da colheita de forma correta. Precisa mesmo? Com certeza, até para fazer valer todo investimento feito no grow e poder desfrutar de um resultado final com qualidade. Não deixe de planejar também a compra de equipamentos para extração (Bubble Hash Bags, Extrator de BHO de Aço, pote de silicone Silicon LEGO), se esta for sua opção para processar a colheita, além de produtos para cura das ervas, como o Boveda.

Critérios para estabelecer prioridades

A princípio, o item mais importante no grow é a luz. Mas considerando que o cultivador já iniciou o cultivo e já adquiriu os equipamentos básicos, como os kits Dark Box 80 ou Dark Box 100 Vapor, a prioridade no orçamento passa a ser a nutrição das plantas (fertilização e os acessórios que auxiliam no seu controle).

Por outro lado, caso o cultivador tenha optado por um tipo de iluminação inadequado, ele precisará investir mais nestes equipamentos. Por exemplo, o dono do cultivo comprou um painel LED pouco potente para o número de plantas que ele está plantando, e percebeu isso quando as plantas começaram a atrasar o desenvolvimento. Ou então comprou uma lâmpada vapor metálica apenas e percebeu que as plantas necessitam de mais luz. Mesmo que a questão da iluminação deva fazer parte do planejamento inicial do cultivo, prever mais investimento em iluminação sempre será uma boa ideia. Afinal, quanto mais luz, melhor.

Gastos a curto, médio e longo prazo

A seguir, você confere os gastos para montar e manter o grow a curto, médio e longo prazo.

Curto prazo

É o período em que acontecem os maiores gastos. É a hora de montar o grow ou mesmo comprar aqueles materiais que ficaram em segundo plano na hora de comprar toda a estrutura básica do cultivo. Exemplo: material de germinação, enraizador e material de clonagem – que acaba sendo usado ainda antes do final da fase de crescimento para aqueles que pretendem extrair clones das plantas-mãe. A curto prazo também são feitos investimentos em fertilizantes que são adicionados a partir da terceira semana de crescimento das plantas.

Médio prazo

Neste período, os gastos são feitos para incrementar o substrato e aumentar o tamanho dos vasos se o cultivador estiver planejando um transplante das mudas para passá-las à fase de floração, por exemplo. O orçamento poderá incluir ainda a aquisição de novos e melhores vasos como os da linha Power Pot. E se por um lado, os fertilizantes devem continuar na lista de compras, o cultivador pode iniciar nesse período um planejamento do material que será usado para processar a colheita.

Longo prazo

Os investimentos de longo prazo dependem dos objetivos do cultivador, caso tenha interesse de aumentar o grow quando terminar o ciclo de cultivo, comprando novas estufas e mais equipamentos de iluminação e exaustão. Outro exemplo de longo prazo é de quem optou por cultivar com lâmpadas de vapor e escolheu, em princípio, um reator eletromagnético. Com planejamento, será possível investir num reator do tipo eletrônico que tem vantagens como melhorar a vida útil das lâmpadas e evitar as oscilações no fluxo luminoso, que influenciam o desenvolvimento das plantas.

Reserva para situações emergenciais

No planejamento financeiro para manutenção do cultivo indoor é importante também destinar um percentual do orçamento para ficar como reserva para situações emergenciais. Separe 20% do orçamento que definiu para o grow para situações como essas:

  • Necessidade de adquirir um defensivo ou fazer uma troca de substratos e vasos no caso de uma possível infestação de pragas no grow;
  • Variação de temperatura como aumento demasiado, então o cultivador precisará investir em mais exaustão, ventiladores ou até mesmo um ar-condicionado nos meses mais quentes;
  • Investir em mais lâmpadas, aumentando a irradiação luminosa para as plantas. O cultivador poderá perceber que, com o crescimento das plantas, acabou comprando um tipo de lâmpada inadequado ou que não está suprindo a necessidade das plantas, então precisará investir em mais luz.

Sobre custos e investimentos de montagem e manutenção de um grow, leia também:

Quanto custa montar um grow de até quatro plantas

3 motivos para investir em cultivo indoor

7 acessórios indispensáveis no cultivo indoor

 

O que fazer quando

Você tem dúvida sobre seu cultivo? Participe do conteúdo colaborativo do blog da Green Power. Preencha o formulário e envie sua pergunta.

Guia Boas práticas Cultivo Indoor: O que fazer para ter plantas bem desenvolvidas

cultivo indoor

E-book: Faça o download gratuito.

Start typing and press Enter to search