5 procedimentos para melhorar o cultivo indoor

 Em Dicas de Cultivo, Dicas Green Power

A vontade de iniciar e manter um cultivo indoor conta muito no processo, mas só isso não basta. É preciso estar sempre atento para que o resultado do cultivo seja mesmo o esperado: plantas bem desenvolvidas que gerem uma colheita de qualidade. Diversos fatores precisam ser observados. Por isso, destacamos abaixo cinco procedimentos que ajudarão você a melhorar o cultivo indoor.

Analise o espaço físico

O primeiro procedimento é analisar se o espaço físico escolhido para abrigar o cultivo é realmente o mais adequado. Você pode transformar um cômodo da casa ou um armário antigo no local do seu cultivo. Mas neste post, nossa sugestão é pela praticidade, utilizando uma estufa pronta para o cultivo indoor.

Verifique se o local é mesmo discreto. Outro ponto para conferir é o tamanho da área. Muitos optam por estufas menores porque ocupam menos espaço. Mas quem sabe você avalie que tem potencial para aumentar o cultivo, o que fazer? Dependendo do tamanho da área, troque a estufa atual por uma maior ou coloque outra com as mesmas dimensões. Isso vai depender também das condições gerais do ambiente como a localização de tomadas de energia elétrica.

Outra vantagem no uso de estufas é que mais tarde você poderá utilizar uma para a fase de crescimento e outra apenas para floração. Assim fica mais fácil controlar o fotoperíodo, fertilização, entre outras etapas do cultivo indoor, que são diferentes para cada fase, além do que você terá colheitas em qualquer tempo.

Escolha da estufa adequada

Como destacado no item acima, a escolha da estufa é outro item que deve ser observado com atenção no cultivo indoor e influencia no desenvolvimento da planta. Ganha destaque pela praticidade. Não por acaso, existem estufas de diferentes dimensões à disposição na loja da Green Power . Para escolher a mais indicada, você deve pensar no quanto deseja cultivar, mas também levar em conta o espaço físico disponível. Para saber se escolheu a estufa adequada, avalie o tamanho do cultivo que está mantendo. O número de vasos está dentro do que é indicado pelo fabricante da estufa? Pretende aumentar o número de vasos? Se sim, pense no tamanho da estufa e avalie se precisará de uma nova, maior, ou outra do mesmo tamanho.

O bom de optar pelas estufas prontas é que elas são de fácil montagem e instalação e eliminam muitas etapas que fazem a diferença no cultivo indoor. Por exemplo, se fosse transformar um armário antigo numa estufa seria necessário fazer toda a fiação elétrica, com instalação de lâmpadas, exaustores, além de estar atento a detalhes como forrar todo o móvel com material reflexivo adequado para favorecer os efeitos da luz no desenvolvimento da planta.

Uso da iluminação correta

A luz é um fator importante para o desenvolvimento das plantas. É a energia que transforma nutrientes em alimento, incluindo a produção de clorofila com reflexo no crescimento, no tamanho das folhas e na produção de sementes. No caso do cultivo indoor, não é diferente, e a necessidade de luz da planta também é importante. E se a planta não está apresentando o desenvolvimento correto, uma das causas pode estar na escolha errada das lâmpadas usadas na estufa.

Usualmente as lâmpadas de Vapor de Alta Pressão (HID) são utilizadas com grande sucesso para o cultivo indoor, podendo ser do tipo Vapor Metálico (MH), usadas na fase de floração e Vapor de Sódio (HPS), para a fase de crescimento. Em ambos os casos, as lâmpadas aquecem bastante e por isso demandam instalação de equipamentos de resfriamento.

Por outro lado, existe a crescente demanda por painéis de LED. São mais eficientes na conversão da energia elétrica em luz e não geram calor, o que é um benefício importante. E por isso são altamente recomendados para ambientes pequenos ou onde não é possível instalar complexos sistemas de resfriamento. Os painéis LED não requerem instalação, basta plugar na tomada.

Uso do fertilizante mais adequado

destacamos no blog o papel que o uso certo dos fertilizantes exerce no cultivo indoor. Por isso, é importante manter-se informado para saber qual fertilizante é o mais adequado – não só o tipo, mas também a quantidade. Para escolher o mais adequado, avalie qual tem sido o desenvolvimento da planta até aqui. Está satisfatório? Depois disso, você pode optar entre fertilizantes orgânicos e fertilizantes minerais.

Cada tipo possui características próprias e vantagens que influenciam no cultivo indoor. Os orgânicos têm maior permanência no solo e também uma absorção gradual da planta. Entre as vantagens proporcionadas pelo uso de fertilizantes orgânicos estão o aumento na capacidade de retenção de água no solo, as condições mais favoráveis de penetração das raízes e o desenvolvimento de organismos microscópicos que ajudam na disponibilidade de nutrientes.

Os fertilizantes minerais, por sua vez, têm como características principais o fato de terem absorção e lixiviação rápidas. Isso requer aplicações mais frequentes do fertilizante e, por consequência, maiores cuidados na hora da dosagem para não haver uso em excesso que prejudique a planta. Das vantagens no uso dos fertilizantes minerais, destaque para a possibilidade de um controle mais preciso da quantidade de nutrientes. Outra vantagem é a redução nos riscos de aparecimento de pragas como fungos. Confira as opções na loja da Green Power.

Manter rotina de cuidados

A decisão de iniciar o cultivo indoor vem cercada de muita expectativa de ver a planta pronta para a colheita o quanto antes. Mas isso só irá ocorrer se o dono do cultivo mantiver uma rotina de cuidados com as plantas. Elas não se desenvolvem sozinhas. Precisam de água, luz, nutrientes…tudo na medida certa e não em excesso. Por isso, o procedimento indicado é manter uma rotina de dedicação diária ao cultivo. Se tem dúvidas a respeito, informe-se antes mesmo de começar. Ou se está insatisfeito com o resultado, avalie se o problema não está justamente na forma como mantém o cultivo. O que será que está faltando corrigir?

O erro mais comum na manutenção é com a água. Ou rega de mais ou rega de menos. Para saber o momento certo de colocar água no vaso, um truque é usar um palito (de picolé ou de espetinho) para ter uma noção da umidade do solo. Às vezes, a parte de cima está seca, mas por dentro, não. Se colocar água nesta situação, é grande o risco de encharcar a planta e isso acaba prejudicando seu desenvolvimento. Se o palito estiver úmido na ponta, isso significa que ainda não é a hora de regar a planta. Espere secar para colocar água.

Quer saber mais sobre cultivo indoor? Entre em contato e conheça a loja Green Power.

Start typing and press Enter to search